Um clássico jogo de estratégia em tempo real (RTS) cheio de feras e heróis maiores que os humanos comuns, “Age of Mythology” abriu novos caminhos para a franquia “Age of Empires” quando foi lançado em 2002, focando em personagens fantásticos em vez de históricos exércitos. Nos últimos 18 anos, os jogadores voltaram ao título repetidas vezes por causa de sua história emocionante e intensa ação multiplayer. 

Veja também o review completo de Wolfenstein: New Order!

Agora, “Age of Mythology: Extended Edition” está disponível no Steam, oferecendo a mesma grande experiência com algumas pequenas melhorias. Embora esses ajustes não adicionem muito à experiência, com uma comunidade revitalizada para o jogo online, “Age of Mythology” é como a ambrósia do Monte Olimpo. Dessa forma, confira abaixo o review completo desse game!

Jogabilidade de Age of Mythology

Age of Mythology: confira o review completo! - Foto: Reprodução/ TT
Age of Mythology: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ TT

“Age of Mythology” é um RTS assimétrico nas linhas de “StarCraft”. Dessa forma, o jogo se passa em um período não especificado da antiguidade, onde deuses, mortais e bestas míticas trabalham em conjunto para guerrear e realizar feitos heróicos. Como tal, a raça que você selecionar e os deuses que você adora determinarão seu estilo de jogo geral. A versão “Extended Edition” inclui “Age of Mythology”, a expansão “The Titans” e a campanha “The Golden Gift” para download.

O jogo oferece quatro raças: gregos, egípcios, nórdicos e atlantes. Cada raça não tem apenas unidades e edifícios completamente diferentes, mas também uma estratégia geral diferente. Enquanto cada raça precisa de quatro recursos – comida, madeira, ouro e favores dos deuses – para avançar sua tecnologia e construir um poderoso exército, cada uma vai reuni-los de uma maneira diferente.

Os gregos, por exemplo, são uma sociedade muito tradicional da “Era dos Impérios”: os aldeões reúnem recursos em locais específicos de queda, constroem edifícios duráveis ??e adoram em templos para obter favores. Os nórdicos, por outro lado, jogam recursos em carroças de bois móveis, usam a infantaria como construtores e lutam para obter o favor de seus deuses belicosos.

Já os egípcios podem dominar os estágios finais de uma partida com cavalaria de treinamento rápido e poderosos faraós, enquanto os atlantes podem destruir um mapa de recursos antes que um inimigo tenha a chance de invadir.

Dessa forma, “Age of Mythology” é uma delícia pois jogar com cada raça é muito diferente. Além disso, é difícil ficar entediado quando sua estratégia pode mudar drasticamente de missão para missão e de uma partida multiplayer para outra.

Sem deuses, sem glória

Age of Mythology: confira o review completo! - Foto: Reprodução/ YouTube
Age of Mythology: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ YouTube

Além da raça, os jogadores também selecionam deuses maiores e menores para adorar. Zeus, Ra, Odin e Oranos (a variante atlante de Urano) estão todos presentes e contabilizados, mas os aficionados por mitologia ficarão satisfeitos em encontrar uma boa parte dos panteões greco-romanos, egípcios e escandinavos representados. Dessa forma, se você não sabe quem são Artemis, Osiris, Bragi e Hyperion, você saberá quando terminar o jogo.

Cada Deus confere vantagens diferentes. Thor fornece anões que se destacam na mineração de ouro, enquanto você pode obter atualizações de tecnologia mais baratas com Ísis. Além disso, os jogadores também recebem poderes divinos com potencial para mudar o jogo: habilidades de uso único que incluem ataques de meteoros devastadores, chuvas que aumentam a produção de alimentos nas fazendas ou teletransportar exércitos inteiros pelo mapa. Por fim, vale lembrar que esses poderes podem mudar o resultado de uma partida em um instante e forçar os jogadores a tomarem decisões interessantes sobre qual Deus adorar e como usar melhor o incrível poder desse Deus.

A volta da estratégia tradicional

Age of Mythology: confira o review completo! - Foto: Reprodução/ TT
Age of Mythology: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ TT

Além disso, “Age of Mythology” abraça a estratégia tradicional de “Age of Empires” pedra-papel-tesoura: a infantaria vence a cavalaria, a cavalaria vence os arqueiros, os arqueiros vencem a infantaria. Desta vez, no entanto, há um novo elemento: unidades míticas e heróis.

Ao seu favor, os jogadores podem invocar bestas mitológicas, como gigantes de gelo e esfinges, bem como semideuses, como Hércules e faraós. Dessa forma, as unidades míticas superam os soldados tradicionais, os heróis podem destruir unidades míticas com facilidade e os soldados humanos normais podem derrubar os heróis.

A combinação desses dois sistemas de equilíbrio de jogo, além de variáveis ??como armas de cerco, contra unidades e a desigualdade inerente de todas as quatro raças, torna “Age of Mythology” o jogo de qualquer pessoa. Nenhuma estratégia funciona contra todos os oponentes, mas jogadores adaptáveis ??e de mente aberta encontrarão uma utilidade para cada soldado à sua disposição.

História de Age of Mythology

Age of Mythology: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ TT

Depois de passar anos lutando contra piratas e bandidos, o almirante atlante Arkantos acredita que seus melhores dias ficaram para trás. Uma mensagem de Atenas, deusa da sabedoria, sugere o contrário. Um ciclope chamado Gargarensis está disposto a mover céus e terra para se tornar imortal e, para impedi-lo, Arkantos e seu bando de heróis desordenados devem lutar na Guerra de Tróia, reviver um Deus morto no Egito e enfrentar o próprio Loki em Norselands.

Com personagens bem agradáveis, longos arcos de história e uma variedade de missões, “Age of Mythology” tem uma história atraente que se parece com a versão grega antiga. O tom geral é sincero e épico com uma pitada de tolice, que lembra filmes como “Fúria de Titãs”. Não é uma tragédia grega, mas a maioria dos jogadores investirá o suficiente na história de Arkantos e Gargarensis para ver até o fim.

Arte e gráficos

Age of Mythology: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ TT

Os visuais em “Age of Mythology” não envelheceram tão bem quanto o resto do jogo. Embora a versão “Extended Edition” ofereça suporte a resoluções mais altas, tenha iluminação bem aprimorada, melhores efeitos de partículas e ciclos diurno / noturno, isso faz pouco para resolver como os personagens e edifícios parecem apenas uns blocos de perto. O estilo geral de arte do jogo é fenomenal, mas os gráficos mal faziam justiça a ele em 2002 e ficam muito aquém dos padrões de hoje.

Música e som

Age of Mythology: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ TT

Boas trilhas sonoras têm sido a marca registrada da série “Age of Empires”, e “Age of Mythology” não é uma exceção. Dessa forma, com cordas melódicas, flautas ambiente e bateria pulsante, a música consegue ser simultaneamente grega, egípcia e nórdica. É o tipo de música que desaparece conforme você joga, mas você pode se pegar assobiando enquanto caminha pela rua.

Os efeitos sonoros são bem imaginativos, considerando que os designers não tinham base para como soa um verdadeiro kraken ou einherjar (guerreiro nórdico ressuscitado), e a dublagem é exagerada, mas divertida. Além disso, o diálogo dificilmente é premiado, mas cada ator ataca seu papel com uma bela mistura de seriedade e humor.

Novas características de Age of Mythology

Age of Mythology: confira o review completo! - Foto: Reprodução/ TB
Age of Mythology: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ TB

Se você já jogou muito “Age of Mythology”, a “Extended Edition” não oferece muitos motivos para voltar. Dessa forma, os gráficos parecem um pouco melhores, especialmente quando se trata de raios. Além disso, alguns efeitos especiais, como o raio de luz disparado pela unidade crocodilian petsuchos, também foram totalmente substituídos, mas não parecem bem melhores ou piores.

Um recurso bem interessante da “Extended Edition” é o streaming integrado ao Twitch. Dado o quão popular a plataforma de streaming de jogos online se tornou, os usuários hardcore devem se divertir muito com este recurso, bem como a interface aprimorada para o modo de espectador multiplayer.

Caso contrário, a razão mais convincente para escolher a “Extended Edition” é a promessa de uma comunidade online baseada no Steam com novos jogadores, melhor combinação e a possibilidade de novos mapas e cenários. Mas é difícil dizer se isso realmente acontecerá. Além disso, os servidores de multijogador não foram preenchidos durante nosso processo de revisão.

Conclusão

Age of Mythology: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ TT

Apesar de muito pouco conteúdo novo, “Age of Mythology: Extended Edition” ainda é um título difícil de deixar passar. Dessa forma, tudo o que tornou o jogo excelente há quase duas décadas ainda está presente e contabilizado, e alguns ajustes bem-vindos aqui e ali ajudam a otimizar o jogo para PCs mais modernos. Quer você adore Poseidon, Freya, Set ou Gaia, certifique-se de deixar uma oferenda apropriada para a sua divindade. De qualquer modo, “Age of Mythology” ainda é um presente dos deuses.

Editor: Microsoft Studios;
Desenvolvedor:
 SkyBox Labs, Ensemble Studios;
Gênero:
 Estratégia em tempo real;
Preço:
 R$ 63,99;
Data de lançamento:
 8 de maio de 2014;
Plataforma:
 PC;
SO:
 Windows Vista, 7, 8.1+, 10;
Processador:
 1.6 Ghz;
Memória:
 1 GB de RAM;
Gráficos:
 GPU compatível com Direct X 10+;
DirectX:
 Versão 10;
Disco rígido:
 3 GB de espaço disponível;
Placa de som:
 Placa de som compatível com Direct X.

O que achou? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!