A análise de voz por um aplicativo para smartphone identifica congestão pulmonar em pacientes com insuficiência cardíaca, permitindo intervenção precoce antes que sua condição se deteriore. O pequeno estudo é apresentado hoje no HFA Discoveries, uma plataforma científica da Sociedade Europeia de Cardiologia (ESC).

Veja também uma explicação simples sobre a gravidade!

“A fala é pessoal e, como tal, mudanças muito pequenas (relacionadas à mesma pessoa) podem ser detectadas – por exemplo, a capacidade dos pais de perceber problemas de saúde ouvindo seus filhos”, disse o professor Offer Amir, diretor do estudo, Instituto do Coração, Hadassah Medical Center, Jerusalém, Israel. “Hoje, relatamos os resultados do primeiro dispositivo de monitoramento de insuficiência cardíaca personalizado, não invasivo e fácil de usar. Ele requer uma gravação simples de 30 segundos por dia, em qualquer idioma”.

A insuficiência cardíaca é uma das principais causas de morbimortalidade, afetando mais de 26 milhões de pessoas em todo o mundo, e é a principal causa de hospitalização nos EUA e na Europa. Por isso, a vigilância rigorosa dos pacientes pode reduzir hospitalizações e mortes relacionadas.

Em pacientes com insuficiência cardíaca, a função de bombeamento do coração não está funcionando como deveria. O sintoma mais comum é falta de ar, causada por congestão de água nos pulmões. Além disso, o congestionamento pode ser fatal e a identificação precoce é crucial.

O congestionamento pulmonar causa mudanças sutis nos padrões de fala, que podem ser uma ferramenta para avaliar o estado clínico. Atualmente, o processamento de fala é usado de várias maneiras, por exemplo, conversão de texto em fala e reconhecimento automático de voz. Este estudo examinou a capacidade de um novo aplicativo móvel para distinguir entre estados congestionados e não congestionados.

Estudo sobre o aplicativo detecta acúmulo de líquido nos pulmões

O estudo incluiu 40 pacientes internados no hospital com insuficiência cardíaca aguda e congestão pulmonar. Os pacientes foram solicitados a gravar cinco frases em um smartphone padrão após a admissão e, novamente, pouco antes da alta, quando não estavam mais congestionados. A duração de cada gravação foi de 2 a 5 segundos. Os pesquisadores descobriram que a tecnologia distinguiu com sucesso entre o estado congestionado na admissão e o estado não congestionado na alta.

O professor Amir disse que o sistema pode ser usado para monitorar pacientes com insuficiência cardíaca em casa. Os médicos prescrevem o aplicativo, os pacientes fazem o download para o smartphone e enviam gravações de voz quando se sentem bem, para que o aplicativo possa criar um modelo “saudável” personalizado. Todos os dias, os pacientes adicionam uma gravação, que o aplicativo compara ao modelo saudável. Pequenos desvios que denotam o início da acumulação de fluidos geram um alerta que os médicos captam em um portal da web designado.

“Aqueles com sinais precoces de congestão pulmonar podem receber ajustes no tratamento, evitando a necessidade de hospitalização”, disse o professor Amir. “À medida que mais amostras de fala são obtidas, o modelo se torna cada vez mais sensível a mudanças”.

Ele acrescentou: “Durante os atuais profissionais de saúde pandêmicos do COVID-19 estão fazendo a transição de muitas consultas ambulatoriais para pacientes com insuficiência cardíaca para plataformas de telemedicina, destacando a importância do monitoramento remoto para reduzir o risco de exposição ao corona vírus”.

Fonte: Eurekalert

O que você achou do aplicativo detecta acúmulo de líquido nos pulmões? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar no ícone azul da rede social ao lado!