Os ataques cibernéticos sempre foram uma grande ameaça para o mundo moderno. Embora a tecnologia tenha melhorado muito, manter os dados privados seguros continua sendo um problema. Dessa forma, alguns métodos para proteger as informações online surgiram na última década e um deles é a autenticação de dois fatores, também conhecida como 2FA.

Veja também o que é o Google Authenticator!

O que é autenticação de dois fatores?

Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! - Foto: Reprodução/Host One
Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! – Foto: Reprodução/Host One

De forma simplificada, a autenticação de dois fatores é o processo que solicita mais do que a senha do usuário. Dessa forma, aplicativos e sites usam esse método para garantir que o usuário que está tentando obter acesso seja realmente a pessoa que afirma ser.

Normalmente, você fornece seus dados de login, ou seja, seu nome de usuário ou e-mail e sua senha. Com 2FA, você precisa fornecer sua senha, junto com um código exclusivo. Este código é enviado para seu celular registrado ou outro aplicativo. Com esse método, o site ou aplicativo de software tem a garantia de que você tem acesso à sua senha virtual e ao dispositivo físico.

Tipos gerais de ID

Existem três tipos gerais de ID que você pode usar para 2FA:

  1. Sua senha, PIN, endereço, número da conta ou qualquer conjunto de dígitos ou letras que você possa fornecer;
  2. Uma chave de segurança USB, um chaveiro autenticador, seu telefone ou uma tecnologia que você pode segurar nas mãos;
  3. Sua impressão digital, voz, retina ou coisas que fazem parte do seu corpo.

Se o site ou aplicativo usar o método 2FA, você precisará de dois dos três elementos mencionados acima para obter acesso a ele.

Não é uma tecnologia nova

Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! – Foto: Reprodução/Trocafone

Você pode não ter percebido, mas a autenticação de dois fatores não é uma tecnologia nova. Na verdade, você o tem usado durante a maior parte de sua vida adulta.

Por exemplo, se você for um varejista online, a empresa que processa os pagamentos de seus clientes, que foram realizados por meio de seus cartões de crédito, normalmente solicitaria um código. Além disso, eles também podem exigir que você forneça o endereço de cobrança e o número do cartão.

Esses números são uma forma de as empresas garantirem que você possui o cartão, o que geralmente é a primeira etapa do processo de autenticação.  Quando você fornece o endereço e ele corresponde ao mesmo local que o emissor do cartão possui em seu registro, você concluiu a segunda etapa. Esses dois processos simplesmente garantem à empresa que você é quem diz ser.

Voltando aos velhos tempos, quando as pessoas só usavam cheques para pagar suas compras, a maioria das empresas pedia duas identidades físicas, como uma carteirinha de estudante ou de trabalho e o CPF. Pode parecer desatualizado e diferente em comparação com o processo de autenticação por senha e telefone, mas também era uma forma de 2FA.

A regra principal da autenticação de dois fatores é que o usuário forneça não apenas um método, mas dois para provar sua identidade.

Por que você deve usar a autenticação de dois fatores?

Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! – Foto: Reprodução/Kaspersky

A explicação mais simples de por que você precisa da autenticação de dois fatores com um site ou aplicativo é que fica mais difícil para alguém invadir sua conta. Antigamente, muitos hackers criavam um crack rápido de senha e conseguiam obter acesso à conta de outra pessoa em qualquer lugar do mundo. Isso acontecia, pois eles exigiam apenas os dados pessoais do usuário.

Com 2FA, há mais uma etapa necessária para confirmar a identidade do usuário. As senhas não são apenas fracas, mas também um método desatualizado. Eles podem ser um requisito para todos os aplicativos, mas isso não significa que eles oferecem a melhor segurança. É por isso que a autenticação de dois fatores foi introduzida.

Outra razão pela qual 2FA é vital para a segurança é que pode ser difícil memorizar um determinado grupo de caracteres. A maioria das pessoas tem senhas diferentes para os aplicativos que usa, que acreditam protegê-los de hackers. No entanto, essa variedade de letras e números (e até símbolos especiais) pode ser um grande desafio para a memória das pessoas.

Existem vários aplicativos que ajudam a organizar e memorizar senhas. No entanto, você ainda precisa de uma senha para mantê-lo seguro. Dessa forma, a autenticação de dois fatores fornece duas chaves diferentes que você usará para fazer o login.

Senhas fracas e repetidas

De acordo com especialistas em tecnologia, as violações de dados podem acontecer com qualquer pessoa a qualquer momento. No entanto, quatro em cada cinco desses problemas poderiam ser evitados com a ajuda do 2FA. A maioria das violações de dados vinculadas a hackers ocorrem porque os usuários têm senhas fracas. As senhas mais simples e fracas são perfeitas para os hackers desvendarem as suas informações mais rapidamente.

Acredite ou não, muitos usuários têm a mesma senha. Em 2018, milhões de pessoas ainda usavam essas senhas:

  • 123456 (até 9);
  • 11111;
  • esqueci;
  • senha.

Com o 2FA, você tem um certo nível de garantia de que os hackers terão que quebrar uma camada de segurança adicional.

Quão seguro é o 2FA?

Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! - Foto: Reprodução/TM
Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! – Foto: Reprodução/TM

A autenticação de dois fatores oferece segurança adicional. No entanto, isso não garante que você não será vítima de hackers. Isso torna sua conta muito mais segura, principalmente em comparação a quem não usa o 2FA. Embora nada seja garantido no mundo da tecnologia, o 2FA é basicamente o suficiente para fornecer a proteção de que você precisa – a menos que você tenha azar ou seja um dos alvos de destaque de um grupo de hackers.

Do lado positivo, entretanto, um e-mail de phishing não será capaz de fazer login em sua conta, mesmo que obtenha sua senha. Dessa forma, se você utiliza a tecnologia 2FA em seus perfis online, um token será enviado para o seu celular.

Como funciona a Autenticação de dois fatores?

Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! – Foto: Reprodução/Uol

A autenticação de dois fatores está em toda parte. Da Amazon ao Facebook, este método é necessário para fazer o login, principalmente quando você estiver usando um dispositivo novo ou não reconhecido. Portanto, o 2FA pode funcionar de maneiras diferentes, mas existem duas maneiras principais de receber as senhas.

O código pode ser enviado para seu e-mail ou número de celular, que pode ser uma mensagem de texto ou uma chamada telefônica. Um servidor irá gerar o código para você e enviá-lo ao receptor de sua escolha. E-mails e verificação no aplicativo requerem que você esteja conectado à Internet.

No entanto, isso não significa que você não pode autenticar sem uma conexão com a Internet. Alguns aplicativos permitem que os usuários gerem uma senha, mesmo quando estão offline. Essa opção normalmente envolve outros aplicativos, como Google Authenticator, TOTP Authenticator e semelhantes.

Etapas para habilitar a 2FA

Antes de usar a 2FA para autenticação, você precisa primeiro habilitar a opção. Normalmente envolve três etapas, mas todas são fáceis de realizar, mesmo para iniciantes. As etapas comuns incluem o seguinte:

  1. Forneça suas credenciais: você começa com seus detalhes de login, o que significa que você precisa fornecer seu nome de usuário e senha. Mesmo se você estiver conectado no momento, precisará inserir novamente essas informações para habilitar o serviço.
  2. Habilite nas configurações de sua conta: a próxima etapa é ir para suas configurações e encontrar a opção para habilitar a autenticação de dois fatores. Este procedimento é necessário, pois é o método que permite ao servidor saber que você deseja usar 2FA. Pode ser solicitado que você forneça um número de telefone ou endereço de e-mail no qual o código de autenticação será enviado.
  3. Confirme a mudança: a etapa final é fornecer um token de volta ao aplicativo ou ao servidor do site, confirmando a modificação que você acabou de fazer. Normalmente, envolve um código de barras, que você deve digitalizar para finalizar o processo. Em outros casos, você terá que inserir manualmente certos detalhes para concluir a aprovação 2FA.

Na maioria das vezes, os usuários selecionam SMS para confirmar sua identidade. Se você fizer o mesmo, deverá ter acesso ao seu celular durante o processo de ativação da 2FA.

O que acontece quando você perde o acesso ao seu celular?

Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! – Foto: Reprodução/TT

Como você pode ver, você precisa do seu número ou smartphone para entrar na sua conta. Portanto, é mais do que uma necessidade fazer backup; caso contrário, você pode acabar sendo bloqueado. A premissa é que sua senha secundária deve estar sempre acessível a você.

No entanto, podem surgir problemas. Por exemplo, você perde seu celular ou ele foi roubado de você. Uma coisa tão infeliz pode acontecer com qualquer pessoa, o que significa que eles perdem seus dados também. A melhor maneira de manter seu acesso é fazer backup de seus códigos. Esse método depende do site ou aplicativo que você está usando.

Alguns sites permitem que os usuários salvem outro código ou senha. Você deve mantê-lo em um local seguro, para não perder o acesso. O código salvo pode ser utilizado em uma instância em que você não pode mais controlar seu celular.

Uma alternativa é usar um aplicativo de autenticação. Dessa forma, ele oferece a opção de fazer backup de todos os dados relacionados, incluindo seu código de segurança. Se você perder seu celular e o site que deseja acessar enviar um texto para o dispositivo, você pode usar a chave de recuperação do serviço para desbloquear a conta.

Um lembrete importante sobre a autenticação de dois fatores

Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! - Foto: Reprodução/Crypto ID
Autenticação de dois fatores: entenda mais sobre essa funcionalidade! – Foto: Reprodução/Crypto ID

A autenticação de dois fatores aumenta seu processo de login, adicionando uma camada extra de proteção. Embora reduza a chance de hackers acessarem sua conta, não deve ser tratado como um substituto para senhas fortes.

Algumas pessoas tendem a usar senhas fracas repetidamente para evitar o risco de esquecerem seus detalhes de login. No entanto, esse tipo de senha é uma maldição para sua própria segurança cibernética. Você deve se esforçar para criar uma senha única e complexa para garantir que outras pessoas não a descubram. Essa dica é importante, principalmente quando se trata de bancos.

Embora o 2FA seja útil, você ainda deve ter uma senha forte. Esses dois trabalham juntos para que os hackers não consigam acessar sua conta e acessar seus dados privados.

Perguntas Frequentes

O que é autenticação de dois fatores?

De forma simplificada, a autenticação de dois fatores é o processo que solicita mais do que a senha do usuário. Dessa forma, aplicativos e sites usam esse método para garantir que o usuário que está tentando obter acesso seja realmente a pessoa que afirma ser.

Como ativar a autenticação de dois fatores?

Para realizar a ativação da autenticação em dois fatores é necessário entrar nas configurações da sua conta. Dessa forma, é preciso verificar se existe a área “Segurança” no site ou aplicativo. Caso a mesma esteja disponível basta seguir as orientações para configurar a 2FA.

Como desativar a autenticação de dois fatores?

Normalmente, para desativar a autenticação de dois fatores é preciso ir ao mesmo local que você ativou ela.

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!