Há muito tempo, em um período que os historiadores chamam de década de 90, os mascotes reinavam. Dessa forma, esses animais antropomorfizados tinham atitudes ruins e tênis grandes. Além disso, em muitas vezes faziam uma espécie de breakdance, que era o estilo “febre” na época. E uma das mais notórias dessas criaturas foi Crash Bandicoot da Naughty Dog, um marsupial vestido com jeans que “girou” para o PlayStation original em 1996, tornando-se a cara estúpida e sorridente do novo console com CD. De qualquer maneira, cerca de 20 anos depois, surgiu a versão “remastered” de Crash Bandicoot.

Confira também o review completo de BioShock The Collection!

Uma coleção remasterizadas dos três primeiros games

Crash Bandicoot Remastered: confira o review completo! - Foto: Reprodução/ Steam
Crash Bandicoot Remastered: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ Steam

A Trilogia N. Sane é uma coleção remasterizada dos três primeiros jogos de Crash Bandicoot. Houve alguns ajustes na física que os fãs hardcore de Crash e speedrunners têm questionado, mas para a maioria das pessoas deve parecer exatamente o mesmo que em 1996. No entanto, esse é o problema. Este é um jogo de plataforma da escola mais antiga e barulhenta, com saltos violentos, armadilhas que exigem precisão de pixel perfeita e inimigos que podem matá-lo com um golpe.

É claro que algumas pessoas vão adorar tudo isso que foi dito. É como retornar ao passado, quando os jogos de plataforma 3D eram puros e imaculados pelas armadilhas do videogame moderno. No entanto, para outras pessoas é como voltar a uma época em que os jogos eram muito piores do que agora. 

Inclusive, há quem defenda que Crash até parecia desatualizado naquela época, ofuscado por jogos como Tomb Raider e Mario 64. Isso torna os seus níveis lineares e design frustrante ainda mais difíceis de engolir na atualidade.

Muitos problemas tornam o jogo menos divertido

Crash Bandicoot Remastered: confira o review completo! - Foto: Reprodução/ YouTube
Crash Bandicoot Remastered: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ YouTube

Os ângulos fixos da câmera dificultam a “avaliação” de muitos saltos. Isso é um problema grave para um jogo em que cair em um fosso significa ser “morto” e ter que voltar a um ponto de verificação ou ao início de um nível. As elaboradas animações de morte no estilo Looney Tunes são divertidas na primeira vez que você as vê, mas esperar que elas acabem lentamente quando você quer apenas voltar à ação e tentar novamente é extremamente tedioso. Além disso, Crash simplesmente não parece satisfatório para controlar, com uma física simples, leve, um salto curto e rígido que muitos “odiavam” em 1996 e ainda odeiam hoje.

Esse tipo de plataforma de reconhecimento de padrões básico, baseado em tempo, simplesmente não é mais divertido. Especialmente quando você poderia estar jogando um dos muitos jogos de plataforma 2D para PC que, nos 22 anos desde o lançamento de Crash, levaram o gênero em novas direções interessantes. É uma vida inteira quando se trata de design de jogos, e Crash parece uma velha relíquia empoeirada do passado, mesmo que aqueles belos gráficos remasterizados se esforcem ao máximo para fazer você pensar o contrário.

É um jogo incrivelmente bonito

Crash Bandicoot Remastered: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ YouTube

Este é, às vezes, um jogo incrivelmente bonito – especialmente em 4K. Tudo é grande, robusto e tátil. Os personagens e inimigos são maravilhosamente e expressivamente animados. Em termos de manter a aparência de um jogo clássico e simultaneamente atualizá-lo para hardware moderno, o desenvolvedor Vicarious Visions fez um trabalho notável aqui. Mas a desvantagem desses visuais suntuosos e caros é que eles destacam o quão arcaico o jogo é.

É autêntico, entretanto, e é exatamente o que algumas pessoas vão querer de um “remastered” de Crash Bandicoot. Se você está procurando pela mesma experiência que teve em 1996, você estará bem atendido. Mas se você não tem nenhum investimento na série, nenhuma nostalgia e está procurando por um jogo de plataformas 3D divertido e bem projetado – um gênero lamentavelmente mal atendido no PC – você ficará desapontado. 

Poucas mudanças e um remake muito fiel

Crash Bandicoot Remastered: confira o review completo! - Foto: Reprodução/ YouTube
Crash Bandicoot Remastered: confira o review completo! – Foto: Reprodução/ YouTube

A adição do salvamento automático é uma das poucas concessões que o game faz ao design de jogos modernos, mas, fora isso, ele se apega obstinadamente ao passado e raramente o deixa ir.

Não é de todo ruim. O extenuante e repetitivo primeiro jogo envelheceu mal, mas o segundo, Cortex Strikes Back, tem alguns níveis bem desenhados que são um teste agradável de concentração e destreza. Às vezes, quase parece um jogo de ritmo e ação, memorizando padrões, mantendo seu ímpeto, e pode ser estimulante no momento. Pelo menos até a próxima morte barata, que são muitas. O terceiro jogo da trilogia, Warped, é o mais variado dos três, embora o tempo tenha sido cruel com esses níveis de corrida.

Como um remake fiel e cuidadosamente elaborado dos três primeiros jogos Crash Bandicoot da era PlayStation, o N. Sane Trilogy é praticamente perfeito. O problema é que esses jogos provavelmente não eram tão bons em primeiro lugar e só pioraram com a idade. Há diversão para se divertir aqui, mas também muita frustração enquanto você luta com decisões de design que foram feitas há mais de duas décadas, em uma era em que o salto tridimensional e o movimento ainda estavam sendo descobertos. Precisamos desesperadamente de mais plataformas 3D no PC, mas que olhem para o futuro, não para o passado.

Comparação entre o Crash Bandicoot original e a versão “remastered”

É fã da trilogia original de Crash Bandicoot? Confira abaixo dois vídeos comparativos entre a versão original e a Remastered. Observe que o jogo é praticamente o mesmo, mas com um enorme salto gráfico.

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!