Em março de 2018, apareceram os primeiros dados de um plano nomeado Neuralink, uma nova companhia de Elon Musk da qual o foco é conectar o cérebro humano a dispositivos. No entanto, apenas agora que o empresário divulgou pela primeira vez um protótipo do que seria a ideia: um chip que se conecta ao cérebro.

No geral, o projeto é que humanos tenham a possibilidade de se comunicar com dispositivos sem que precise de forma efetiva recursos físicos que façam uma ponte. Dessa forma, humanos com deficiência teriam o poder de acessar tais máquinas de maneira bem mais prática.

A grande novidade oferecida pelo Neuralink é o conjunto de pequenos fios flexíveis que se conectam ao cérebro humano. Com um tamanho pequeno, eles tem o poder de compartilhar uma quantidade imensa de dados do cérebro sem causar danos ao órgão humano.

Tais fios têm entre 4 a 6 nanômetros, sendo menores até mesmo que um fio de cabelo. No total, o software tem o poder de compartilhar dados equivalentes a 3.072 eletrodos por coleção com 96 fios.

Elon Musk fala sobre o projeto

A ideia foi divulgada pelo próprio Musk na terça (16). De acordo com o empresário, a ideia agora é encontrar pessoas com interesse em fazer parte do projeto. No momento, o dispositivo está sendo testado apenas por neurocientistas, sem pacientes reais. No entanto, Musk foi conciso ao exibir o avanço do estudo: “Um macaco conseguiu controlar um computador com seu cérebro”, afirmou.

O empresário também enfatizou que a tecnologia não foi desenvolvida do zero, sendo que diversos estudos no meio foram aproveitados. Um deles é a do BrainGate, um software que deu o poder para Matthew Nagle jogar Pong, do Atari, utilizando somente seu cérebro. Ele possui uma paralisia no corpo e é visto como a primeira pessoa da história a controlar uma máquina com a sua mente.

Para comparar, o BrainGate utiliza agulhas com poder de até 128 canais de eletrodos. O Neuralink terá o poder para até 24 vezes mais.

Uma das complicações afirmadas com o BrainGate foi exatamente que as agulhas começaram a criar danos ao cérebro com o tempo de uso. O sistema era rígido e causava machucados na cabeça do utilizador. Já o Neuralink, o objetivo que haja um polímetro mais fino e mais flexível, o que pode prevenir esse tipo de dano.

Por outro lado, essa característica torna a implantação mais complicada. Por isso, a companhia desenvolveu um robô com o poder de realizar a implantação de até seis fios (total de 192 eletrodos) por minuto. A descrição veio de um post encabeçado por Musk e a equipe do Neuralink.

Elon Musk demonstrará nesta sexta chip que se conecta ao cérebro
Elon Musk demonstrará nesta sexta chip que se conecta ao cérebro – Foto: Reprodução/StartupExperience

Chip que se conecta ao cérebro

Outra novidade está no chip. A empresa criou um item que tem o poder de identificar, limpar e amplificar sinais do cérebro para os dispositivos. Até então, isso é realizado por meio de um cabo USB-C. No entanto, a ideia final é uma versão sem fio. Para isso, a companhia está desenvolvendo um sensor nomeado de N1, que será inserido no corpo do utilizador e será responsável pela transmissão das informações. No total, devem ser implantados até quatro sensores, três em regiões motoras e outro em uma área somatossensorial.

O que é USB-C? Veja tudo sobre a tecnologia!

O sensor também é micrométrico e será conectado ao dispositivo principal na parte de trás do ouvido do utilizador, com uma bateria que pode ser recarregada. Tudo será gerenciado por apps móveis.

O objetivo final, para além da comunicação de humanos com deficiência, é realizar com que a relação entre as pessoas e aparelhos seja mais prática. O estudo indica que o controle por cérebro se tornou bem mais rápido na quantidade de informações que o uso de voz e toque.

No entanto, será que estamos chegando perto disso? “Há todo um processo do FDA pelo qual precisamos ainda passar”, falou Musk. Ele se refere ao Food and Drug Administration, órgão do governo norte-americado aparecido com a Anvisa no território brasileiro. Para que itens sejam permitidos nos EUA, é necessária a aprovação desta agência. “Ainda não fizemos isso”, admite.

Elon Musk demonstrará nesta sexta chip que se conecta ao cérebro
Elon Musk demonstrará nesta sexta chip que se conecta ao cérebro – Foto: Reprodução/StartupExperience

Por enquanto, o estudo se mantém progredindo com testes em ratos para tentar descobrir os riscos. No entanto, não existe provisão para a tecnologia ser lançada para o público.

Gostou?

O que você achou do chip que se conecta ao cérebro? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar no botão “Canal do Telegram” no topo direito da página.