O governo dos EUA impôs restrições a SMIC, a maior fabricante de chips da China.

O departamento de comércio dos EUA alega que os produtos da SMIC (Semiconductor Manufacturing International Corporation) apresentam um risco inaceitável para os compradores americanos.

Os Estados Unidos afirmam que esses produtos podem ser usados pelo exército chinês.

Entretanto, o governo americano ainda não colocou a empresa em sua lista negra.

Créditos: SMIC

Recentemente, as sanções às empresas chinesas se tornaram comuns devido à guerra comercial travada pelos Estados Unidos contra a China.

Em contrapartida, a SMIC comunicou que não tem nenhum vínculo com o exército.

Após a notícia divulgada pelo Financial Times na sexta-feira (25), a SMIC viu suas ações caírem em 7%, provavelmente por precisar de equipamentos controlados por empresas americanas para atualizar suas operações.

Portanto, qualquer empresa que faça negócio com a SMIC, envolvendo alguma propriedade intelectual dos Estados Unidos, deve requisitar uma permissão especial ao governo.

Anteriormente, o governo americano tomou essa medida contra a maior cliente da SMIC: a Huawei. Essa ação causou bastante polêmica na época, se tornando o marco da guerra comercial entre os EUA e a China.

O presidente da Huawei afirmou neste mês que as ações do governo americano trouxeram grandes problemas para a empresa, pois dificulta as operações internacionais ao restringir as ações internacionais.