Facebook e Twitter removem posts de Trump: O Facebook removeu na quarta-feira uma postagem em vídeo da página pessoal do presidente Donald Trump. Do qual incluía um segmento de uma entrevista à Fox News. Além disso, na qual ele falsamente dizia que as crianças estão “quase imunes” ao COVID-19, a doença causada pelo coronavírus.

O que é o Facebook?

“Este vídeo inclui alegações falsas de que um grupo de pessoas é imune ao COVID-19, o que é uma violação de nossas políticas em torno de informações prejudiciais sobre o COVID”, disse Andy Stone, porta-voz da política do Facebook.

O Twitter também removeu o vídeo de sua plataforma na noite de quarta-feira. Isso depois de ter sido twittado pela campanha de Trump, dizendo que o vídeo estava “violando as Regras do Twitter sobre desinformação da COVID-19”.

Na entrevista, que foi ao ar na quarta-feira de manhã, Trump disse que as crianças devem voltar à escola porque são “quase imunes” ou “praticamente imunes” à doença. Embora sejam menos vulneráveis, as crianças podem, de fato, transmitir a doença a outras pessoas, e algumas crianças morreram por causa dela.

Cobertura total do surto de coronavírus

A ação, a primeira vez que o Facebook removeu um post de Trump por desinformação do COVID-19, marca um raro caso em que está disposto a censurar o presidente. Em junho, o Facebook removeu os anúncios publicados pela campanha de Trump que exibiam um símbolo nazista usado para classificar presos políticos durante a Segunda Guerra Mundial.

Além disso, um link para a postagem agora desvia para uma página que diz: “Este conteúdo não está disponível no momento”.

A campanha de Trump acusou o Facebook de “viés flagrante”.

“O presidente afirmou que as crianças são menos suscetíveis ao coronavírus”, disse Courtney Parella, vice-secretária nacional de imprensa da campanha, em comunicado por e-mail. “Outro dia, outra demonstração do viés flagrante do Vale do Silício contra esse presidente, onde as regras são aplicadas apenas em uma direção. As empresas de mídia social não são as árbitras da verdade”.

O Facebook foi minuciosamente examinado por críticos da esquerda e da direita por lidar com as postagens de Trump. Sua recusa em agir nos cargos em que o presidente parecia pedir violência contra manifestantes provocou indignação entre os progressistas e ajudou a inspirar grupos de direitos civis a organizar um boicote publicitário contra ele.

Ao mesmo tempo, os apoiadores de Trump reclamavam frequentemente – com poucas evidências – de que o Facebook e outras empresas de mídia social como o Twitter e o YouTube têm um viés liberal e censuram injustamente os conservadores. Vários parlamentares republicanos fizeram essas reclamações ao CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, durante uma audiência antitruste de alto nível no mês passado.

Fonte: NbcNews

Gostou?

O que você achou do Facebook e do Twitter removerem os posts do Trump? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar no botão “Canal do Telegram” no topo direito da página.