É muito tentador pintar o Harmony OS como o “plano B” da Huawei construído às pressas para os seus celulares. Não é nenhum segredo que a complexa rede de disputas verbais geopolíticas e litígios que atrapalham a capacidade da Huawei de negociar com a maior economia do mundo poderia forçá-la a dar adeus a uma versão do Android com suporte do Google. A solução? O Harmony OS – o plano de backup pronto da Huawei se tudo der errado.

Veja também o que é iOS!

Exceto que isso não é o que Harmony OS realmente é.

A gigante chinês dedicou um evento inteiro ao seu novo SO na Huawei Developer Conference de 2019. De qualquer maneira, nessa matéria, vamos falar um pouco sobre o novo SO da Huawei. Confira:

O que realmente é o Harmony OS?

Harmony OS: entenda mais sobre esse sistema operacional! - Foto: Reprodução/ Android Authority
Harmony OS: entenda mais sobre esse SO! – Foto: Reprodução/ Android Authority

A Huawei tentou destilar a essência do Harmony OS em um único slogan: “Um sistema operacional baseado em micro-kernel para todos os cenários.” Parece interessante, não é?

No fundo, o Harmony OS não é um rival do Android. É um rival para todos os sistemas operacionais inteligentes que você possa imaginar.

Portanto, a Huawei fala sobre o Harmony OS como o próximo passo para conectar o usuário final ao mundo digital em constante mudança. Além disso, a Huawei acredita que as maiores mudanças estão chegando, com o surgimento do 5G, a crescente tecnologia em nuvem e da IA.

A vida perfeita da IA

Tudo isso se junta para formar o que a Huawei apelidou de “vida perfeita da IA”. Essa seria uma convergência de tecnologia de última geração que ela acredita que abrangerá todos os nossos dispositivos em casa e em trânsito nas próximas décadas. O problema, segundo a Huawei, é que grande parte da tecnologia inteligente que usamos no dia a dia se recusa a funcionar bem umas com as outras.

Este não é um problema novo de forma alguma. Muitos sistemas operacionais são isolados devido a rivalidades de fabricantes ou até por necessidade de hardware.

Também vimos isso há anos com o Android. O Google tem lutado para recapturar a mesma magia para suas “plataformas vestíveis” e de TV.

Em vez de reaproveitar o SO, reconstruir os mesmos aplicativos e colocar mais pinos quadrados em buracos redondos, a Huawei quer lançar um novo tipo de sistema operacional. Além disso, a empresa afirma que está trabalhando nisso há quase 10 anos.

“1 + 8 + N”

Harmony OS: entenda mais sobre esse sistema operacional! - Foto: Reprodução/ Android Authority
Harmony OS: entenda mais sobre esse SO! – Foto: Reprodução/ Android Authority

A visão da Huawei para o ecossistema Harmony OS começa com o que ela chama de estratégia “1 + 8 + N”. Dentro desta configuração, o “1” é o dispositivo que qualquer pessoa já conhece: o celular. Os celulares nos conectam a amigos e familiares a qualquer hora e (quase) qualquer lugar do mundo. Portanto, faz sentido usá-los como ponto de partida.

O “8” representa outros dispositivos, como laptops, tablets, smartwatches, desktops, alto-falantes inteligentes e etc. Finalmente, o “N” incluiu dispositivos de iluminação inteligente, câmeras, geladeiras e etc.

Fazer com que todos esses produtos funcionem bem uns com os outros já é complicado, mesmo se você contar apenas com os produtos Huawei. Seus celulares rodam Android, seus notebooks usam Windows, enquanto seus smartwatches rodam o Lite OS.

Em conceito, a solução da Huawei é simples: faça um SO seguro e que pode funcionar em todos esses dispositivos. A implementação desse conceito, no entanto, está longe de ser simples.

Projetando um sistema operacional inteligente

Harmony OS: entenda mais sobre esse SO! - Foto: Reprodução/ Android Authority
Harmony OS: entenda mais sobre esse SO! – Foto: Reprodução/ Android Authority

O Harmony OS é construído em um único kernel, uma única estrutura de aplicativo e utiliza os mesmos serviços principais. Além disso, a Huawei afirma que ao remover o código redundante e adotar um modelo de agendamento mais eficiente baseado em um “Deterministic Latency Engine” em tempo real que realoca recursos em tempo real, o Harmony OS representa um passo acima das arquiteturas de kernel monolíticas e híbridas como Linux e Android, respectivamente.

Inclusive, a Huawei diz que olhou além dos dispositivos individuais e recursos de hardware isolados. Portanto, em vez disso, determinou um conjunto de recursos e características combinados para criar um nível de hardware virtualizado. Esse conjunto de recursos compartilhados abrange características mais amplas, como monitores, câmeras, alto-falantes e microfones. Ou seja, elementos que se repetem em vários dispositivos inteligentes. Dessa forma, o Harmony OS está em um celular ou PC, assim como em uma lâmpada inteligente com meros Kb de memória.

Muitos benefícios

Os benefícios potenciais são inúmeros. Mas o exemplo que a Huawei apresenta é alternar entre um dispositivo para o outro enquanto usa um único app sem qualquer tempo de inatividade. Fazendo uma chamada no seu celular? Por que não ir até o painel do seu carro ou para o tablet ou TV.

Outro benefício é que os aplicativos Harmony OS só precisarão ser escritos para uma única plataforma. Isso somente é possível graças ao compilador ARK da Huawei, que oferece suporte a vários idiomas. Portanto, isso não apenas reduzirá o tempo de desenvolvimento geral, mas também oferecerá compatibilidade entre vários dispositivos com qualquer carga de trabalho extra.

Esta é uma grande vantagem para os desenvolvedores de apps e pode acabar com as longas esperas por apps idênticos em várias plataformas.

Tudo isso e a segurança avançada habilitada pelo ambiente de micro-kernel entre os dispositivos somam-se a uma imagem atraente para usuários finais, desenvolvedores e, talvez o mais importante, a própria Huawei como uma empresa que quer liderar o avanço nesta nova era de conexão tecnologia.

É claro que ter um SO avançado é muito bom, mas ninguém usa um sistema operacional sozinho. Você precisa de dispositivos.

Então, e os dispositivos Harmony OS?

Harmony OS: entenda mais sobre esse SO! - Foto: Reprodução/ Android Authority
Harmony OS: entenda mais sobre esse SO! – Foto: Reprodução/ Android Authority

Grande parte da confiança da Huawei vem de sua crença de que é uma das poucas empresas de tecnologia que já possui a infraestrutura para atender às suas ambições. E é difícil argumentar que não é o caso.

A Huawei já produz seu próprio silício Kirin, tem um grande investimento em tecnologia de nuvem e está no coração do 5G. Além disso, ela também tem um negócio de dispositivos em expansão que cobre celulares, wearables, tablets, laptops e etc.

Dessa forma, a Huawei não tem medo de usar esse amplo portfólio como um trampolim para seu novo SO. Portanto, o primeiro produto pronto para o consumidor com SO Harmony é a TV inteligente Huawei Vision. A TV mostra alguns dos smarts baseados em IA que o Harmony OS promete enquanto o aparelho se transforma em um centro de controle HiLink para mais de 900 dispositivos IoT. Além disso, você também poderá compartilhar e transmitir facilmente o conteúdo do seu celular diretamente para a TV. Até agora, esses são os únicos produtos Harmony OS oficiais

Novos produtos devem ser lançados nos próximos anos

O lançamento do Harmony OS realmente começa a “pegar” em 2020 com smartwatches e “bandas inteligentes”, unidades principais de veículos e PCs. Em 2021, a Huawei afirma que isso pode se expandir para alto-falantes e outros dispositivos de áudio. Já em 2022 estaremos no reino dos óculos de realidade virtual e muito mais.

Smartwatches são um caso particularmente interessante, já que a Huawei já descartou o WearOS para o Huawei Watch GT. Embora em uma escala muito menor e menos ambiciosa, isso mostra que a Huawei tem pelo menos algum “pedigree” nas apostas de software.

E os celulares?

No entanto, há uma categoria de produto que não estava em lugar nenhum no roteiro do Harmony OS: o smartphone.

Embora haja rumores de que um celular Harmony OS econômico está em construção, a Huawei tem se mantido firme em seu aparente desejo de manter o Android em seus negócios de celulares.

Como vimos com a série Mate 30, a Huawei está atualmente contando com uma construção de código aberto do Android com sua capa EMUI na parte superior, mas sem acesso nativo aos serviços móveis do Google ou aplicativos do Google. Os compradores do Mate 30 poderão fazer o sideload do Gmail, Maps e outros aplicativos do Google. Mas a perda da Google Play Store é um problema difícil de lidar.

De qualquer maneira, é importante notar que a Huawei não deve usar os recursos do Harmony OS em seus celulares por um tempo.

Os desafios pela frente

Harmony OS: entenda mais sobre esse SO! – Foto: Reprodução/ Android Authority

A ideia de que os principais OEMs de smartphones poderiam abandonar o Android – comprovadamente o sistema operacional mais popular por participação de mercado – para o projeto de estimação da Huawei parece absurda, mas pode muito bem obter algum apoio de seus amigos na China.

Dessa forma, as “grandes empresas de tecnologia” da China estão apoiando totalmente a Huawei na guerra comercial com os EUA. Além disso, também houve relatos não confirmados da região de que Xiaomi, Oppo, Vivo e Tencent testaram o Harmony OS internamente.

No momento, entretanto, ainda é difícil ver a solidariedade meramente política afastando essas empresas do SO do Google. Além disso, a Huawei também não está elaborando o Harmony OS como um exercício filantrópico. Código aberto ou não, é um jogo de poder sísmico da empresa de Shenzhen, que busca se estabelecer como a empresa de hardware, software e infraestrutura móvel de fato na China. Dessa forma, a Xiaomi e o contingente do BBK não são estúpidos o suficiente para não notar que a Huawei tem produtos rivais em quase todas as categorias do roteiro do Harmony OS.

É necessário convencer os consumidores

No entanto, não são apenas as empresas que a Huawei precisa convencer. O Harmony OS é uma venda incrivelmente difícil para os consumidores em seu estado atual. Jargão técnico e promessas vagas de melhor desempenho e funcionalidade não são suficientes. Componentes cruciais como os planos da Huawei para uma loja de aplicativos Harmony OS ainda são um mistério total. E Além da capacidade de alternar facilmente os dispositivos ao usar o mesmo aplicativo, não vimos nenhum outro recurso prático que chame a atenção dos consumidores.

Sabemos que os aplicativos Android também não são diretamente compatíveis. A Huawei conseguirá convencer todos os principais fabricantes de aplicativos a reproduzir seus produtos para outra plataforma?

Mais uma vez, o cenário em torno do Mate 30 é de grande interesse aqui. Com a Play Store totalmente impedida, a Huawei está recorrendo à sua própria App Gallery, que hospeda mais de 45.000 aplicativos e tem 390 milhões de usuários ativos por mês. Isso está muito longe dos mais de dois milhões de aplicativos da Play Store, mas a Huawei espera nivelar o campo de jogo um pouco com um fundo de desenvolvimento de aplicativos para sua suíte Huawei Mobile Services (HMS).

Também é necessário convencer os desenvolvedores

Aplicativos do Facebook como WhatsApp, Instagram e o próprio Facebook já estão confirmados para o Mate 30 através da App Gallery e, sem dúvida, outros serão anunciados em breve. Se o muito elogiado compilador ARK pode traduzir facilmente aplicativos Android em aplicativos Harmony OS, imagine como o processo provavelmente será simplificado para desenvolvedores que mudam os aplicativos App Gallery para o novo sistema operacional da Huawei.

No entanto, mesmo que os Facebooks deste mundo dêem o salto para o Harmony OS, há todas as mudanças que os aplicativos do Google ainda não farão se a proibição de comércio continuar. O Google pode até optar por restringir o acesso à sua família de apps na tentativa de enfraquecer um rival em potencial se a Huawei abandonar totalmente o Android.

Seja pela força ou por escolha, o novo sistema operacional da Huawei está em rota de colisão com o Android de uma forma ou de outra.

Fonte: Android Authority

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!