De forma resumida, podemos dizer que uma máquina virtual permite que você execute um sistema operacional (SO) em uma janela de aplicativo em sua área de trabalho. Dessa forma, essa janela se comporta como um PC separado e completo. 

Veja também o que é Sistema Operacional (SO)!

Mas você pode estar se perguntando: por que eu usaria essa máquina virtual? A resposta é simples. Você pode usá-la para brincar com diferentes sistemas operacionais, executar softwares que seu SO principal não tem suporte e experimentar os apps em um ambiente seguro.

Além disso, vale lembrar que existem vários bons apps de máquina virtual (VM) gratuitos por aí. Isso torna a configuração de uma máquina virtual algo que qualquer pessoa pode fazer. Dessa forma, você precisará instalar um app VM e ter acesso à mídia de instalação para o SO que deseja instalar. De qualquer modo, nessa matéria, vamos aprofundar um pouco mais o assunto e ensinar a criar uma máquina virtual. Confira:

O que é uma máquina virtual?

Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/YouTube

Um aplicativo de máquina virtual cria um ambiente virtualizado – chamado, simplesmente, de máquina virtual. Dessa forma, ela se comporta como um sistema de PC separado, completo com dispositivos de hardware virtuais. A VM funciona como um processo em uma janela em seu SO atual. Portanto, você pode inicializar um disco de instalação do SO dentro da máquina virtual. Dessa forma, o SO será “enganado” e pensar que está sendo executado em um PC real. Depois disso, você pode instalar o SO da mesma forma que em uma máquina física real. Sempre que quiser usar esse outro SO, você pode abrir o programa da máquina virtual e usá-lo em uma janela em sua área de trabalho atual.

No mundo das VMs, o SO em execução no computador tem o nome de host e quaisquer outros sistemas operacionais em execução nas VMs são os “convidados”. Essas nomeações ajudam a evitar que as coisas fiquem muito confusas.

Em uma determinada VM, o SO convidado é armazenado em um disco rígido virtual – um grande arquivo de vários gigabytes armazenado em seu disco rígido real. Além disso, o app da VM apresenta este arquivo no SO convidado como um disco rígido real. Isso significa que você não terá que mexer no particionamento ou fazer qualquer outra coisa complicada com seu disco rígido real.

Algumas observações importantes sobre a VM

A virtualização adiciona alguma “sobrecarga”, então não espere que elas apresentam a mesma velocidade de quando você está usando o sistema operacional em um hardware real. Além disso, jogos exigentes ou outros apps que exigem gráficos sérios e potência de CPU não funcionam muito bem, então as máquinas virtuais não são a maneira ideal de jogar jogos de PC com Windows no Linux ou Mac OS X – a menos que esses jogos sejam muito mais velhos ou não são graficamente exigentes.

Além disso, vale lembrar que o limite de quantas Máquinas virtuais você pode ter depende apenas da quantidade de espaço no seu disco rígido.

Dessa forma, você também pode executar várias VMs ao mesmo tempo. Mas ficará um tanto limitado pelos recursos do sistema, já que cada VM consome algum tempo de CPU, RAM e outros recursos.

Por que você desejaria criar uma Máquina virtual?

Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! - Foto: Reprodução/PPL Ware
Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/PPL Ware

Além de ser uma boa diversão geek para brincar, as VMs oferecem vários usos sérios. Dessa forma, elas permitem que você experimente outro SO sem ter que instalá-lo em seu hardware físico. Por exemplo, elas são uma ótima maneira de mexer com o Linux – ou uma nova distribuição do Linux – e ver se parece boa para você. Quando terminar de usar o sistema operacional, você pode simplesmente excluir a VM.

Além disso, as VMs também fornecem uma maneira de executar o software de outro SO. Por exemplo, como um usuário Linux ou Mac, você pode instalar o Windows em uma VM para executar apps do Windows aos quais de outra forma não teria acesso. 

Outra vantagem que as VMs fornecem é que elas são “isoladas” do resto do sistema. Portanto, o software dentro de uma VM não pode escapar da VM para interferir no resto do seu sistema. Isso torna as VMs um lugar seguro para testar apps – ou sites – em que você não confia e vê o que eles fazem.

Além disso, ela também permite que você execute SOs inseguros com mais segurança. Dessa forma, se você ainda precisa do Windows XP para apps mais antigos, pode executá-lo em uma VM onde pelo menos o dano de executar um SO antigo e sem suporte seja atenuado.

Aplicativos mais populares

Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! - Foto: Reprodução/TT
Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/TT

Existem vários programas de máquina virtual diferentes que você pode escolher:

Virtual Box (Windows, Linux, Mac OS X)

O VirtualBox é muito popular porque é de código aberto e totalmente gratuito. Não há uma versão paga do VirtualBox, então você não precisa lidar com o usual “upgrade para obter mais recursos” upsells e nags. Além disso, o VirtualBox funciona muito bem, especialmente no Windows e Linux, onde há menos competição, o que o torna um bom lugar para começar com VMs.

VMware Player ((Windows, Linux)

O VMware possui sua própria linha de programas de máquina virtual. Dessa forma, você pode usar o VMware Player no Windows ou Linux como uma ferramenta de máquina virtual básica gratuita. Recursos mais avançados – muitos dos quais encontrados no VirtualBox gratuitamente – exigem atualização para o programa VMware Workstation pago. Recomendamos começar com o VirtualBox, mas se ele não funcionar corretamente, você pode experimentar o VMware Player.

VMware Fusion (Mac OS X)

Usuários de Mac devem comprar o VMware Fusion para usar um produto VMware, uma vez que o VMware Player gratuito não está disponível em um Mac. No entanto, o VMware Fusion é mais polido.

Parallels Desktop (Mac OS X)

Macs também têm o Parallels Desktop disponível. Dessa forma, tanto o Parallels Desktop quanto o VMware Fusion for Mac são mais polidos do que os programas de máquina virtual em outras plataformas, uma vez que são comercializados para usuários comuns de Mac que desejam executar o software Windows.

Embora o VirtualBox funcione muito bem no Windows e no Linux, os usuários do Mac podem querer comprar um programa Parallels Desktop ou VMware Fusion mais polido e integrado. Ferramentas do Windows e Linux como VirtualBox e VMware Player tendem a ser direcionadas a um público mais geek.

Existem muito mais opções de VM, é claro. O Linux inclui o KVM, uma solução de virtualização integrada. As versões Professional e Enterprise do Windows 8 e 10 – mas não do Windows 7 – incluem o Hyper-V da Microsoft, outra solução de máquina virtual integrada. Essas soluções podem funcionar bem, mas não têm as interfaces mais amigáveis.

Como criar uma?

Como dito anteriormente, o VirtualBox é muito popular. É por esse motivo que vamos usá-lo para ensinar a criar uma Máquina Virtual. Antes de começar a fazer a criação, é preciso entender que esse é um processo longo e os usuários devem prestar muita atenção aos detalhes da instalação para não ocorrer nenhum erro. De qualquer forma, confira abaixo como criar uma máquina virtual com o VirtualBox

Por fim, vale lembrar que o processo a seguir é válido para qualquer versão de SO.

Baixando o VirtualBox e criando a Máquina Virtual

Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/TB
  1. Primeiramente, acesse o site virtualbox.org. Em seguida, baixe e instale a versão do VirtualBox compatível com o seu SO atual;
  2. Agora, abra o VirtualBox e clique em “Novo”;
  3. Na nova janela, dê um nome à máquina virtual. Além disso, também seleciona a pasta onde ela será instalada;
Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/TB
  1. Na opção “Tipo”, selecione o tipo de sistema que você quer virtualizar;
  2. Por fim, na “Versão”, selecione a versão do sistema. Lembre-se de selecionar o sistema que você quer instalar.
  3. Em seguida, clique em “Próximo”;
Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/TB
  1. Agora, em “Tamanho da memória”, defina a quantidade de RAM que você quer dedicar para a VM. Indicamos que você dedique até metade do total. Dessa forma, as chances de ocorrer algum problema são menores. Em seguida, clique em “Próximo”;
  2. Em “Disco rígido”, selecione “Criar um novo disco rígido virtual agora” e depois clique em “Próximo”;
  3. No “Tipo de arquivo de disco rígido”, selecione “VDI (VirtualBox Disk Image)” e clique novamente em “Próximo”;
Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/TB
  1. Em “Armazenamento de disco rígido”, escolha entre “Dinamicamente alocado” se você prefere que o espaço do disco virtual cresça conforme o uso. Por outro lado, se você não quer que ele cresça escolha “Tamanho fixo”. Depois clique em “Próximo”;
  2. Em “Localização e tamanho do arquivo”, defina o tamanho do disco virtual e clique em “Criar”;
  3. Pronto! Agora a sua máquina virtual está criada. No entanto, ela ainda não foi configurada. Para isso, clique em “Configurações”;

Configurando a Máquina Virtual

Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! - Foto: Reprodução/TB
Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/TB
  1. Agora, em “Sistema”, clique na aba “Processador” e defina a quantidade de núcleos que a máquina virtual poderá usar. Novamente, recomendamos que utilize a metade do total;
  2. Em “Monitor”, defina a memória de vídeo em 128 MB;
  3. Após ter feito as alterações, clique em “OK”;
  4. De volta à tela inicial, clique em “Iniciar”;
Máquina virtual: veja o que é e como criar uma! – Foto: Reprodução/TB
  1. Agora a máquina virtual iniciará e pedirá a imagem do sistema;
  2. Dessa forma, clique no ícone da pasta, aponte para o arquivo de imagem e clique em “Abrir”;
  3. Por fim, clique em “Iniciar”.

Agora, é só instalar normalmente o outro Sistema Operacional. Dessa forma, na próxima vez que a máquina virtual for executada, já irá carregar o SO normalmente. Além disso, vale lembrar que para criar uma máquina virtual do Windows, é necessário ter uma licença válida do sistema.

Perguntas Frequentes

O que é necessário para rodar uma máquina virtual?

– Um processador recente (Intel ou AMD);
– 512 MB de RAM. Mas quanto mais memória RAM possuir, melhor será a velocidade da máquina virtual.

Como funciona a máquina virtual?

Ela funciona como um processo em uma janela em seu SO atual. Portanto, você pode inicializar um disco de instalação do SO dentro da máquina virtual. Dessa forma, o SO será “enganado” e pensar que está sendo executado em um PC real. Depois disso, você pode instalar o SO da mesma forma que em uma máquina física real. Sempre que quiser usar esse outro SO, você pode abrir o programa da máquina virtual e usá-lo em uma janela em sua área de trabalho atual.

Qual a melhor máquina virtual para Mac?

VMware Fusion ou Parallels Desktop.

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. Basta clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!