A Microsoft e a Prism formaram uma parceria que mais parece ter saído de uma dos capítulos da famosa serie original da Netflix Black Mirror. Quem já assistiu a 3º temporada da seria vai entender porque estamos falando nisso…

Para entender melhor, a Prism é uma empresa de software em cloud (Nuvem) que conecta câmeras e analisa vídeos de um jeito que nenhum ser humano consegue. Ela pode utilizar as atuais câmeras espalhadas pelo mundo a fora para gerar um fluxo de informação sem precedentes. A tecnologia da Prism pega esse material gerados pelos vídeos e o transforma em um fluxo de informações que pode ajudar qualquer negócio a funcionar melhor. Então, a ideia geral por traz do projeto da Prism é tornar a vida de empresas, empregados, cliente e governos mais fácil, oferecendo um fluxo de dados recheado de informações que antes poderiam ter passado despercebidas.

Agora, a Prism contará com a ajuda dos Cognitive Services da Microsoft que será a parte responsável por ajudar a indexar e entender os vídeos gerados pelas câmeras conectadas. Isso porque o Computer Vision API da Microsoft é capaz de entender diferente tipos de objetos, como vimos no último vídeo sobre a parceria da Microsoft com o Hospital 9 de julho em São Paulo.

Juntas as empresas trazem um conjunto único de conteúdo para o mundo da Inteligência Artificial e Machine Learning. Como disse o CEO da Prism, Steve Russell, a ideia sempre foi usar a IA para melhorar nossas vidas, então, eles estão vendendo uma tecnologia de monitoramento via IA e Machine Learn que poderá facilitar e muito nossas vidas. As aplicações são diversas, mas podemos afirmar que vai desde a área médica até a construção civil. Tudo pode ser melhor analisado com um sistema como esse. O vídeo abaixo demonstra bem do que estamos falando.

https://www.youtube.com/watch?v=hs62Z30mE4Y

Claro que ao assistir vídeos assim bate logo aquele medo do que acontece na seria que falamos no começo do texto, do monitoramento da nossa vida pessoal, sem dúvida, mas, a promessa dessa tecnologia versa sobre uma vigilância por meio da IA, então, na teoria, não haverá um ser humano por trás da câmera, mas sim, uma máquina dotada de inteligência artificial… a partir dessa parte o medo só pode lembrar a SkyNet do filme “O Exterminador do Futuro”, mas isso já é assunto para outra pauta (rsrs).