O que é um disco rígido? Essa é uma pergunta comum, mas também muito simples. Dessa forma, se você está procurando maneiras de atualizar seu disco rígido, tentando comprar um computador com o disco rígido certo ou apenas tentando descobrir o que isso significa, continue lendo. Portanto, nesta matéria explicaremos tudo e daremos dicas sobre quais propriedades do disco rígido são particularmente importantes.

Veja também o que é um Hardware!

O “propósito” do disco rígido

O que é disco rígido? Entenda mais sobre! - Foto: Reprodução/Digital Trends
Entenda mais sobre! – Foto: Reprodução/Digital Trends

O disco rígido é onde um dispositivo de computação armazena dados de longo prazo – não apenas o que você salva, mas todo o código necessário para o sistema operacional, os navegadores de framework usam para acessar a internet, drivers para acessórios e tudo mais. Portanto, ao se referir ao armazenamento do computador, “disco rígido” (ou SSD, você entenderá abaixo) é o termo normalmente usado.

Cada disco rígido possui uma quantidade específica de espaço. Parte desse espaço é consumido automaticamente pelo sistema operacional e pelas instalações de backup. No entanto, o resto pode ser preenchido com dados que você baixa e salva, seja um novo aplicativo ou uma imagem engraçada de um gato que alguém compartilhou.

Entretanto, o espaço no disco rígido não é tão importante atualmente como já foi um dia. Isso porque o software baseado em nuvem não requer armazenamento local. Dessa forma, os dados também podem ser armazenados na nuvem, liberando espaço precioso no disco rígido.

Essa dependência baseada na nuvem – que conta com servidores remotos e seus discos rígidos em data centers – é o que alimentou originalmente a plataforma Chrome OS do Google. Portanto, os Chromebooks têm pouco espaço de armazenamento físico devido à sua dependência de soluções de streaming e nuvem. Isso está mudando até certo ponto, graças ao crescente suporte para aplicativos Android do Google Play.

“Nascimento” do disco rígido

O que é disco rígido? Entenda mais sobre! - Foto: Reprodução/Digital Trends
Entenda mais sobre! – Foto: Reprodução/Digital Trends

Reynold B. Johnson desenvolveu o primeiro disco rígido real na IBM, em 1956. Dessa forma, a equipe de Johnson experimentou originalmente outros métodos para armazenar dados em coisas como fita magnética.

No entanto, sua equipe descobriu maneiras de armazenar informações (na forma de bytes) em discos metálicos e magnéticos, que podiam sobrescrever com novas informações conforme desejado. Isso levou ao desenvolvimento de um disco automatizado que lê a si mesmo de maneira semelhante a um toca-discos – só que muito maior. A primeira versão comercialmente disponível, RAMAC, tinha um disco rígido quase do tamanho de uma despensa de cozinha.

Posteriormente, a IBM começou a desenvolver disquetes no final dos anos 1960 para carregar facilmente o código em seus mainframes. Esses discos mediam inicialmente 20 centímetros de diâmetro, contendo dados somente leitura. O primeiro drive de leitura/gravação disponível comercialmente não apareceu até 1972, quando o chefe da equipe – Alan Shugart – migrou para o Memorex.

No geral, essas duas partes – o disco magnético automatizado e o disco “disquete” menor e transferível – tornaram-se a espinha dorsal do disco rígido inicial. Por muitos anos, o método de armazenamento de dados permaneceu o mesmo, enquanto grandes melhorias foram feitas em como o disco rígido pode armazenar, ler e, eventualmente, gravar dados no disco.

Dois tipos de drives

Entenda mais sobre! – Foto: Reprodução/Digital Trends

Um disco rígido pode ser interno ou externo.

Interno significa que um disco rígido está localizado dentro de um dispositivo de computação e tem uma conexão direta com a placa-mãe, mas nem sempre pode ser atualizado.

Por exemplo, a lateral de uma área de trabalho pode ser facilmente removida para desconectar a unidade antiga e conectar a nova. É uma atualização rápida e simples.

Em notebooks, no entanto, o processo de atualização pode não ser tão simples.  Normalmente, há uma porta na parte inferior que dá acesso à unidade. Outros notebooks, como os MacBooks da Apple, não têm armazenamento removível.  Portanto, leia as especificações nos sites do fabricante sobre como trocar corretamente a unidade de um notebook.

Externo significa que um disco rígido está localizado fora do PC e normalmente se conecta por meio de um cabo USB ou Thunderbolt. Esta opção é normalmente mais lenta devido à conexão, mas também pode ser desconectada do PC pai sem maiores problemas.

Além de interno e externo, existem dois tipos de componentes de armazenamento de dados de computadores não voláteis, também conhecidos como “memória de massa” ou “memória secundária”. Dessa forma, esses componentes podem ser uma unidade de disco rígido (HDD) ou uma unidade de estado sólido (SSD). Há uma grande diferença entre os dois. De qualquer forma, veja baixo as diferenças de forma “resumida”:

HDD

O que é disco rígido? Entenda mais sobre! - Foto: Reprodução/Anand Tech
Entenda mais sobre! – Foto: Reprodução/Digital Trends

Os discos rígidos usam um disco magnético giratório que contém informações inscritas em trilhas muito pequenas – um pouco como um toca-discos. Isso requer partes móveis, especificamente cabeças para ler e gravar dados no disco conforme necessário, e propulsão para girar o disco. Portanto, é um método simples, tornando os HDDs “muito baratos” para comprar, especialmente ao criar configurações de armazenamento muito grandes.

SSD

Entenda mais sobre! – Foto: Reprodução/Digital Trends

Não há peças móveis nas unidades de estado sólido. Em vez disso, essas unidades usam semicondutores que armazenam informações alterando o estado elétrico de capacitores muito pequenos. Dessa forma, eles são muito mais rápidos do que os HDDs e podem armazenar informações com mais facilidade, sem o risco de desgaste das peças. Os SSDs são a razão pela qual os PCs modernos inicializam tão rapidamente.

Quais são as peças de um disco rígido (HDD)?

Um disco rígido possui apenas algumas peças básicas. Dessa forma, há uma ou mais “travessas de prata” brilhantes onde as informações são armazenadas magneticamente, há um mecanismo de braço que move um pequeno ímã chamado cabeça de leitura e gravação para frente e para trás sobre as travessas para registrar ou armazenar informações, e há um  circuito  eletrônico para controlar tudo e atuar como um link entre o disco rígido e o resto do computador.

Partes do HDD

O que é disco rígido? Entenda mais sobre! - Foto: Reprodução/Explainthatstuff
Entenda mais sobre! – Foto: Reprodução/Digital Trends
  1. Atuador que move o braço de leitura e gravação. Em discos rígidos mais antigos, os atuadores eram motores de passo. Na maioria dos discos rígidos modernos, bobinas de voz são usadas. Como o nome sugere, são eletroímãs simples, funcionando como as bobinas móveis que emitem sons nos alto-falantes. Dessa forma, eles posicionam o braço de leitura e gravação de forma mais rápida, precisa e confiável do que os motores de passo e são menos sensíveis a problemas como variações de temperatura.
  2. O braço de leitura e gravação balança a cabeça de leitura e gravação para frente e para trás no prato;
  3. O eixo central permite que o prato gire em alta velocidade;
  4. A bandeja magnética armazena informações em forma binária;
  5. As conexões de plugue ligam o disco rígido à placa de circuito do computador pessoal;
  6. O cabeçote de leitura e gravação é um pequeno ímã na extremidade do braço de leitura e gravação;
  7. A placa de circuito na parte inferior controla o fluxo de dados “de” e “para” o prato;
  8. O conector flexível transporta dados da placa de circuito para a cabeça de leitura/gravação e o prato;
  9. O eixo pequeno permite que o braço de leitura/gravação oscile no prato.

“Qualidades importantes” do disco rígido

Entenda mais sobre! – Foto: Reprodução/Digital Trends

Espaço

Observe as especificações disponíveis para computadores hoje e você verá opções de armazenamento em vários terabytes. Os SSDs são particularmente importantes para o armazenamento em disco rígido porque armazenam dados em um espaço multicamadas muito menor do que os HDDs. É por isso que os celulares podem armazenar todas as nossas músicas, vídeos e fotos favoritos.

Velocidade

A velocidade de um disco rígido depende da rapidez com que os dados podem ser lidos ou gravados. Isso inclui sua conexão com o PC, que pode obstruir o fluxo de dados e, em última instância, seu desempenho (veja abaixo). Para discos rígidos mecânicos, a velocidade de rotação também é importante: unidades de 7.200 RPM tendem a ser mais rápidas do que unidades de 5.400 RPM. Entretanto, ambos são muito mais lentos que os SSDs.

Segurança física

A segurança física geralmente diz respeito à durabilidade – quer o disco rígido esteja guardado dentro de um computador ou em uma versão externa que seja facilmente transportada. Ele precisa resistir a choques e empurrões, bem como ao calor e outros problemas ambientais. Dessa forma, discos rígidos mais avançados também podem ter recursos que ajudam a prevenir hackers ou desencorajar roubos.

Conexões

Um disco rígido pode ser conectado por conectores SATA, PCI Express, USB ou Thunderbolt. O tipo de conexão afeta a velocidade, portanto, se um SSD externo estiver conectado a uma porta USB-A 2.0, o fluxo máximo de dados será de 60 megabytes por segundo, mesmo se o SSD puder ler ou gravar a 1.800 megabytes por segundo. Além disso, as conexões também determinam a compatibilidade e a capacidade de atualização, portanto, sempre verifique antes de comprar ou atualizar.

Perguntas Frequentes

Qual é a função do disco rígido?

O disco rígido é onde um dispositivo de computação armazena dados de longo prazo – não apenas o que você salva, mas todo o código necessário para o sistema operacional, os navegadores de framework usam para acessar a internet, drivers para acessórios e tudo mais. Portanto, ao se referir ao armazenamento do computador, “disco rígido” (ou SSD, você entenderá abaixo) é o termo normalmente usado.

O que é e como funciona o disco rígido?

O disco rígido é onde um dispositivo de computação armazena dados de longo prazo – não apenas o que você salva, mas todo o código necessário para o sistema operacional.
Cada disco rígido possui uma quantidade específica de espaço. Parte desse espaço é consumido automaticamente pelo sistema operacional e pelas instalações de backup. No entanto, o resto pode ser preenchido com dados que você baixa e salva, seja um novo aplicativo ou uma imagem engraçada de um gato que alguém compartilhou.

Como é feito o disco rígido?

Depende do “tipo” de disco rígido. Por exemplo, existem HDs que são feitos de discos magnéticos chamados platters, que têm duas camadas: a primeira é chamada de substrato (feita, normalmente, de alumínio) e a segunda de material magnético, aplicada nos dois lados do substrato. É esse material que permite a gravação de dados.

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!