Cada vez mais, navegadores estão restringindo as chances de rastreamento através da web. Eles já fizeram o bloqueio das versões mais invasivas de cookies e em breve darão mais um passo. Confira o que são cookies e por que os navegadores querem bloqueá-los.

O que é Browser? Saiba mais sobre o assunto!

Um cookie se trata de um pequeno código salvo em seu aparelho que torna possível que os portais saibam quem é você. Ele torna possível que seu site de notícias preferido sempre indique a previsão do tempo para sua região, entenda que não pode pedir que você se inscreva na newsletter toda vez que acessar o site, exiba notícias de assuntos que podem ser de seu interesse etc.

Os cookies também permitem outra coisa: publicidade direcionada. O nomeado cookie de terceiros recebeu mais notoriedade: ele, na verdade, não é oferecido pelos portais que você acessam mas sim pelas redes de comerciantes e data brokers (ou corretores de dados) que adicionam anúncios nos sites que você acessa. É através de cookies de terceiros que os anunciantes tem o poder de descobrir o que você faz em muitos sites.

Já há algum tempo que extensões ofertam a chance de bloquear cookies de terceiros. Mais recentemente, os próprios navegadores começaram a ofertar esses mesmos bloqueadores. Bloquear cookies de terceiros torna mais complicado de rastrear seus acessos. Enquanto isso, os cookies próprios do site permanecem em funcionamento para que você permaneça visualizando a previsão do tempo para onde você reside, por exemplo.

Bloquear cookies de terceiros não é ideal para produtores

No entanto, evitar cookies de terceiros não é a melhor coisa para produtores, como editoras, jornais e revistas. Isso porque eles precisam dessas redes labirínticas de tecnologia de anúncios para receber algum retorno financeiro com seus conteúdos. É por esse motivo que alguns portais se negam a carregar caso você tenha algum adblock instalado em seu navegador.

Ninguém está realmente satisfeito com a situação atual – menos os profissionais de marketing que comercializam anúncios direcionados para as pessoas – embora uma transformação verdadeira esteja ocorrendo. Aqui, iremos explicar como os seus navegadores preferidos estão procurando excluir os cookies e o que pode aparecer no lugar deles.

Navegadores e cookies de terceiros

O que são cookies e por que os navegadores querem bloqueá-los
O que são cookies e por que os navegadores querem bloqueá-los – Foto: Reprodução/Gizmodo

Os navegadores – em especial o Safari da Apple e o Mozilla da Firefox – têm adicionado regras aos cookies de terceiros há mais tempo.

O Safari utiliza uma ferramenta nomeada de Intelligent Tracking Prevention (prevenção inteligente contra rastreamento), ou ITP, para encontrar e impedir cookies de terceiros. A ferramenta agora é inteligente o bastante para encontrar cookies de terceiros disfarçados como cookies primários.

O Firefox também tem um modelo, nomeado de Enhanced Tracking Protection (proteção aprimorada contra rastreamento) ou ETP. Ela é, principalmente, desenvolvida para realizar a mesma atividade que o ITP e, assim como ele, está ficando mais sofisticado. Caso você queira exibir os cookies de terceiros excluídos do site que você está acessando no momento, basta selecionar o ícone de escudo à esquerda da barra de endereço do Firefox.

No geral, tais alterações causam uma quase impossibilidade para que os anunciantes rastreiem as pessoas em diversos sites com versões tradicionais. Como essas ferramentas são incluídas no Firefox e Safari, trabalham de forma automática para permanecer seus trabalhos em internets mais restritas. No entanto, cookies mais importantes continuam em funcionamento, como aqueles que assegurem que seu carrinho de compras não suma depois que você sair de uma loja digital.

Google Chrome e Microsoft Edge

O Google Chrome e o Microsoft Edge estão correndo atrás do atraso. Os cookies de terceiros tem a possibilidade de serem evitados em tais navegadores, embora a ferramenta ainda não seja ativada por padrão. O Google, que desenvolve o navegador mais utilizado do planeta, afirma que deseja bloquear os cookies de terceiros do Chrome até o fim de 2022. No entanto, tem preocupações sobre as consequências em sites que precisam de publicidade que se alimenta dos cookies.

De fato, o Google também tem preocupações com os bilhões de dólares que ganha da forma que as coisas ocorrem no momento. Diferente da Apple, Mozilla e Microsoft, seu negócio precisa bastante de publicidade direcionada. O Google não vai ter o desejo de eliminar os cookies de terceiros até que um sistema substituto seja integrado. E com preferência para um que arrecade a mesma quantidade de recursos financeiros para a companhia quanto o anterior.

O que irá substituir os cookies?

O que são cookies e por que os navegadores querem bloqueá-los
O que são cookies e por que os navegadores querem bloqueá-los – Foto: Reprodução/Gizmodo

Sem surpresas, ao tentar convencer as pessoas de usarem o navegador Chrome e assegurar seu negócio lucrativo de anúncios em funcionamento, o Google está na liderança na pesquisa de uma ferramenta substituta para os cookies.

Talvez não haja necessidade de troca. Algumas companhias de conteúdo deixaram o negócio de publicidade direcionada e começaram a comercializar anúncios no conteúdo de uma página no lugar de propaganda que rastreiam as pessoas. Com isso, viram seu retorno financeiro aumentar.

Aparentemente, há diversas companhias recebendo muitos recursos financeiros com publicidade direcionada para que somente seja deixada de lado, no entanto. Embora o melhor cenário seja com anúncios relacionados com o que você está lendo e não de quem você se trata. Além de que, dessa forma, a maior parte do retorno financeiro seja direcionado para os produtores de conteúdos. No entanto, há interesse dos vendedores de anúncios para que as coisas permaneçam da maneira que está.

A ação mais nova do Google foi nomeada de Privacy Sandbox. Tem o objetivo de atuar com diversas das mesmas funcionalidades dos cookies de terceiros. Dos quais, inicialmente, não foram desenvolvidos para redes de anúncios em grande escalada. Além de, ao mesmo tempo, dar a chance das pessoas terem mais privacidade – mais informações agregadas e anônimos ao mesmo tempo em que informações sensíveis permanecem no aparelho.

Iniciativa do Google

A publicidade continuara sendo direcionada. No entanto, o processo, seria, teoricamente, mais transparente e respeitoso com a privacidade do utilizador (por meio de recursos como este) ao mesmo tempo que diminuiria fraudes em anúncios.

No entanto, o Google necessita de auxilio – de outros fabricantes de navegadores, de anunciantes, de editores e de todos os demais relacionados.

Até então, não há clareza exata do que irá substituir os cookies. Isso caso a mudança realmente aconteça ou se o Google irá conseguir juntar desenvolvedores de navegadores, companhias de conteúdos e intermediários de anúncios.

De forma curiosa, deixar a versão atual pode garantir ao Google ainda mais poder, já que ele tem a chance de colher informações sobre os utilizadores. Isso através do Gmail, do Google Maps e outros. Além de uma escala de operação menores que não há possibilidade de alcançar.

O que há clareza se trata das redes de rastreamento de utilizadores e veiculação de publicidade que sustentam o mundo digital por anos então sendo desmontadas. Com os governos mostrando mais interesse em monopólios, concorrência e segurança de informações de utilizadores, há expectativa que o futuro inclua ao menos alguma segurança extra de privacidade para todos.

O que você achou dos navegadores bloquearem os cookies? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar no botão “Canal do Telegram” no topo direito da página.