Com a chance de travar smartphones furtados através do IMEI – um tipo de identificação do dispositivo – e a criação de aparelhos que alteram este identificador do celular, como descobrir se o smartphone que estão lhe ofertando não foi furtado e teve o IMEI clonado? Veja algumas dicas abaixo.

O que é IMEI: entenda a função e a importância!

Os dispositivos que alteram o IMEI de smartphone ficaram disponíveis no Paraguai mais ou menos em 2018. Além disso, estavam saindo com valores por volta de US$ 350 (em torno de R$ 1.800). Uma das principais utilizações do aparelho é alterar o identificador do celular. Dessa forma, retirando um número travado no CEMI (Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas) e registrando outro “novo”.

Com o número do IMEI, que normalmente é mostrado na caixa do dispositivo, há a possibilidade que uma pessoa má intencionada consulte o identificador em embrulhos de smartphones lacrados e o utilize em um celular roubado ou furtado, desviando do impedimento realizado pelas operadoras e a Anatel.

No momento, não há possibilidade de descobrir se o IMEI do seu smartphone foi clonado. Na teoria, as operadoras teriam que desenvolver um cadastro para registrar se um mesmo identificador está conectado em antenas distantes. No entanto, nem as companhias, nem a Anatel ofertam um sistema para esse tipo de análise. Porém, há a possibilidade de descobrir se um smartphone realmente se identifica com o IMEI original de fábrica seguindo o passo a passo a seguir:

IMEI clonado: como descobrir se o IMEI é mesmo do smartphone

Para evitar problemas, sempre que for adquirir um smartphone usado, certifique se o aparelho não teve o IMEI alterado. Para descobrir isso, realize as dicas abaixo:

  1. No discador do dispositivo, insira o código *#06#

    Saiba como descobrir se seu IMEI está clonado

  2. Em seguida, copie o código IMEI que aparece na tela

    Saiba como descobrir se seu IMEI está clonado

  3. Digite o número mostrado na tela em um dos sites

    imei24.com
    imei.info

  4. Por fim, verifique se os dados de marca e modelo são as do dispositivo à venda

    Saiba como descobrir se seu IMEI está clonado

Uma vez que o cadastro dos portais não é completo, pode ser preciso chegar em mais de um site, caso o IMEI não seja achado.

Confira se o smartphone está no cadastro de bloqueio da Anatel

Além do passo a passo acima, há a opção opcional de conferir se o smartphone está no cadastro de bloqueio da Anatel. Além disso, a Anatel e as operadoras tornam possível conferir se o smartphone está na lista de dispositivos travados por furto ou roubo (o CEMI) no site consultaaparelhoimpedido.com.br. Neste caso, é importante lembrar que somente estão registrados os smartphones que tiveram o bloqueio pedido pelos donos, o que normalmente requer um boletim de ocorrência e a notificação da operadora, que pode levar até 72 horas para ser adicionado no cadastro.

Travamento dos clones

A agência e as operadoras, no momento, conversam a chance de travar smartphones com IMEI clonado. No entanto, utilizar a medida exibe algumas complicações técnicas. O SindiTelebrasil (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal) indicou que apoia o bloqueio como forma “fundamental” para lutar contra a clonagem e a adulteração.

“O SindiTelebrasil defende o bloqueio de celulares irregulares, não homologados, e entende ser fundamental a adoção de outras medidas para combater a clonagem e a adulteração de IMEIs, por meio de reforço da segurança na fabricação dos aparelhos”, disse a companhia em comunicado.

Já a assessoria da Anatel disse que a agência não tem informações consolidadas a respeito do número de smartphones clonados no território brasileiro. No entanto, afirmou que pesquisa o bloqueio dos dispositivos no Brasil.

“O processo de bloqueio dos clones está sendo estudado em conjunto com as prestadoras, tendo sido um desafio não só no Brasil mas também em outros países. Isso porque o procedimento tem que gerar o menor impacto possível no usuário legítimo, ou seja, aquele consumidor que teve o seu IMEI clonado.”

IMEI clonado?

A apreensão por trás de um possível bloqueio de smartphones clonados está no fato de que uma pessoa má intencionada poderia usar um IMEI sem bloqueios e adicioná-lo a um dispositivo furtado. O travamento do IMEI iria afetar não somente o smartphone irregular, como também o dispositivo original, do qual o identificador pode ser conseguido sem o dono saber – por exemplo, ao consultar o número em um embrulho jogado fora.

Uma vez que a Anatel não possui um sistema para bloquear celulares com IMEI clonado, não há um protocolo para quem suspeita que seu dispositivo tem um clone no mercado. De acordo com a assessoria da agência, “há que se aguardar até que esse procedimento de bloqueio esteja finalizado para que possamos passar as devidas recomendações”.

O que você acha sobre IMEI clonado? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar no botão “Canal do Telegram” no topo direito da página.