No encerramento da sua apresentação na E3 2018, Phill Spencer, o chefão do Xbox, disse que a Microsoft estava trabalhando na próxima geração de consoles (no plural) da família Xbox, de codinome Scarlett.

Brad Sams, do Thurrot.com descobriu alguns pequenos detalhes sobre como a Microsoft está desenvolvendo seus consoles da próxima geração. E sim consoles, porque agora, eles estão planejando dois consoles diferentes.

Primeiro, a Microsoft está construindo um console tradicional, com a marca Xbox, ou seja, parrudo e com todas as configurações de hardware funcionando localmente, um console Xbox da próxima geração.

Quanto às especificações para este dispositivo, isso ainda não é conhecido no momento, pois é o início do desenvolvimento desse hardware.

A grande novidade é o segundo dispositivo, uma streaming box projetada para funcionar com a próxima plataforma de streaming de jogos da Microsoft.

De codinome Scarlett Cloud, é o serviço de streaming de jogos que todos imaginávamos desde que a Microsoft exibiu um jogo de demonstração em sua reunião para todos os funcionários em 2013. Mas, desta vez, a Microsoft tem um caminho sólido para trazê-lo ao mercado.

O segundo “console” no qual a empresa está trabalhando é um dispositivo de menor potência que está planejado para ser lançado como um dispositivo de próxima geração projetado para streaming de jogos. Mas, a grande novidade aqui, é que a Microsoft acredita ter descoberto como lidar com os aspectos sensíveis à latência dos jogos.

O “Xbox Cloud” (nome não oficial) terá uma quantidade limitada de computação local para tarefas específicas, como entrada do controlador, processamento de imagem e, principalmente, detecção de colisão. A desvantagem disso é que, como mais hardware é necessário localmente, ele aumentará o preço da caixa de streaming, mas, ainda assim, custará significativamente menos do que estamos acostumados a pagar por um console de nova geração, o que deve ajudar a expandir o alcance da plataforma Xbox.

Conceito de um novo Xbox One

E isso é muito importante, pois a Microsoft normalmente não ganha muito dinheiro com as vendas apenas de hardware, mas, sim, com os serviços, como a Xbox Live, Xbox Gamepass e vendas de jogos. Se a Microsoft puder criar um console de próxima geração que seja baratinho, mas, com pagamentos de assinaturas mais longos (lembre-se, todos os jogos serão executados na nuvem, então, você precisará pagar ‘algo’ para acessá-los) para a plataforma Xbox e é claro, para a Microsoft, isso seria ótimo para todos.

A parte do jogo que é executada localmente, alguns se referem a ela como uma fatia ou splice, significa que o jogo está ‘rodando’ em dois locais ao mesmo tempo e utiliza a nuvem da Microsoft para juntar tudo.

A chave do sucesso tem nome e sobrenome: Microsoft Azure. A plataforma de nuvem da Microsoft chega ao redor do mundo com data centers em todos os principais mercados. Isso torna a transmissão da plataforma de jogos disponível globalmente, e, isso também significa que ela pode ser executada em qualquer tipo de dispositivo. É claro que a Microsoft adoraria que você comprasse o hardware deles, mas, ao que parece, o objetivo final da empresa é que você possa acessar o ‘Xbox’ de qualquer dispositivo, em qualquer lugar, e a Scarlett Cloud está tentando oferecer essa ideia.

Uma pessoa familiarizada com os planos da Microsoft disse que isso pode reduzir a latência em todos os aspectos do jogo também. Se um jogo multijogador estiver usando o Azure como servidor central, o console Scarlett Cloud ou Xbox Cloud ficará mais próximo fisicamente do servidor com vários participantes, resultando em menos latência.

Serão 2 consoles de codinome Scarlett: Scarlett e Scarlett Cloud. Quando se trata de jogos, todos os jogos do Scarlett serão executados em todos os dispositivos Scarlett Cloud. Ou seja, ambos os consoles serão iguais quando se trata de jogos, e provavelmente, não veremos um aviso do tipo “este jogo só roda no Scarlett e não na versão Scarlett Cloud”.

A versão Scarlett Cloud está mais adiantada no ciclo de desenvolvimento do que o console tradicional, que também será lançado em 2020.

A Microsoft tornou-se bastante confiante em sua solução de streaming e, agora que descobriu como trazê-la ao mercado depois de muitos anos de desenvolvimento, a empresa está avançando nesses planos.

Fonte: Thurrot